Última hora

Última hora

Ex-ministra francesa rejeita salário "extra"

Em leitura:

Ex-ministra francesa rejeita salário "extra"

Tamanho do texto Aa Aa

A antiga ministra francesa da habitação cede à polémica dos últimos dias. Christine Boutin afirmou que vai renunciar à remuneração de 9 mil e 500 euros mensais, enquanto responsável por um grupo de reflexão sobre as consequências sociais da globalização.

A acumulação do salário com outros rendimentos tinha inflamado as críticas da imprensa e de vários membros do governo.

No telejornal da televisão pública francesa, a ex-ministra exigiu a abertura de um inquérito à acumulação de salários e funções na classe política francesa.

“Tomei esta decisão depois de ter ouvido os franceses que auferem salários baixos e que não podem perceber como é que um responsável político pode receber mais de 18 mil euros mensais. Decidi chefiar esta missão de forma voluntária, renunciando aos 9500 euros mensais”.

Na base da polémica está a acumulação do salário com os 8 mil euros de rendimentos, provenientes da reforma como parlamentar e do cargo de vereadora regional.

Nos bastidores do caso, denunciado pelo próprio ministro do orçamento, os analistas entrevêem as tensões crescentes dentro da maioria conservadora.

Boutin tinha sido convidada pelo presidente Nicolas Sarkozy a chefiar o grupo de reflexão, pouco depois de ter anunciado a intenção de se apresentar como candidata às presidenciais de 2012.