Última hora

Última hora

Centro-direita prepara-se para formar Governo na Eslováquia

Em leitura:

Centro-direita prepara-se para formar Governo na Eslováquia

Tamanho do texto Aa Aa

O partido de esquerda Smer-SD, do Primeiro-ministro eslovaco Robert Fico, venceu as legislativas de ontem, mas são os partidos de direita e centristas que fazem a festa por, juntos, disporem de uma maioria para formar uma coligação maioritária.

Iveta Radicova, líder do SDKU, deve ser a futura primeira-ministra do país: “Os principais desafios da Eslováquia são: acabar com a dívida crescente e começar com o desenvolvimento económico. A Eslováquia foi, em tempos, considerada o Tigre europeu e queremos recuperar isso.”

O Smer-SD de Fico lidera o escrutínio com quase 35% dos votos. Em segundo lugar está a União democrática e cristã eslovaca (SDKU-DS) com pouco mais de 25 por cento. Em terceiro, os liberais da “Liberdade e Solidariedade” (SaS). Em quarto, os democratas-cristãos (KDH). Em quinto, os Most-Hid, que representam a minoria húngara e em sexto, o partido nacionalista que estava no poder com Robert Fico, o SNS, com cinco por cento dos votos.

O Primeiro-ministro cessante afirmou, no entanto, que deseja tentar formar governo, porque obteve quase 35 por cento dos votos. “É um direito que tem.”

Mesmo que o partido de Fico se coligue de novo com os nacionalistas, apenas obteriam 72 dos 150 lugares no Parlamento, o que não permite uma maioria para governar.

A campanha eleitoral na Eslováquia coincidiu com o 90º aniversário do Tratado de Trianon, assinado a 4 de Junho de 1920 pelas potências beligerantes da Primeira guerra mundial. Este tratado fez a Hungria perder dois terços do seu território, entre o qual a Eslováquia.

As tensões entre a Eslováquia e a Hungria foram um dos temas dominantes da campanha, além das acusações de corrupção que pendem sobre o ainda primeiro-ministro, Robert Fico.