Última hora

Última hora

Governo do Quirguistão dá ordens para "atirar a matar"

Em leitura:

Governo do Quirguistão dá ordens para "atirar a matar"

Tamanho do texto Aa Aa

O governo do Quirguistão decretou a mobilização de militares na reserva e deu ordens para “atirar a matar” nas regiões onde foi imposto o estado de emergência. Uma tentativa de travar os confrontos étnicos que fizeram cerca de 80 mortos e mais de mil feridos no sul do país.

Esta noite, na capital, Bishkek, a polícia lançou uma operação contra um grupo de jovens quirguizes que tentava incendiar casas da população uzbeque.

Os confrontos entre quirguizes e uzbeques, começaram na cidade de Osh e alastraram a outras regiões do sul, onde foi declarado o estado de emergência. Segundo os “media” locais, a população começou a fugir para o Uzbequistão.

A presidente interina, Roza Otumbayeva, pediu ajuda militar à Rússia, mas Moscovo declarou que ainda não é tempo para intervir, oferecendo ajuda humanitária.

Esta é a pior vaga de violência desde que o antigo presidente, Kurmanbek Bakiev, foi deposto. O novo governo acusa os apoiantes de Bakiev de espalharem a violência para desestabilizar o executivo e impedir um referendo para mudar a Constituição.

A Rússia e os Estados Unidos têm uma base militar nos arredores da capital. A base norte-americana é um ponto de apoio estratégico para as tropas no Afeganistão.