Última hora

Última hora

Reforma em França passa dos 60 para os 62 anos

Em leitura:

Reforma em França passa dos 60 para os 62 anos

Tamanho do texto Aa Aa

Os franceses vão começar a reformar-se mais tarde. O governo anunciou, esta quarta-feira, uma mudança no sistema de aposentações, que põe fim, na maioria dos casos, à reforma aos 60 anos, que é actualmente a idade legal.

A idade da reforma vai ser aumentada progressivamente, ao longo dos próximos oito anos.
Assim, vai passar dos 60 para os 62 anos, até 2018. Também durante esse período, o tempo de descontos obrigatório para ter a reforma por inteiro vai aumentar em um ano, dos 40,5 para os 41,5 anos.

O ministro do emprego justifica estas medidas com o aumento da esperança de vida: “Em 1980, a esperança de vida aos 60 anos era de 17,3 anos para os homens e de 22,4 anos para as mulheres. Em 2009, a esperança de vida aos 62 anos é de 20,8 anos para os homens e de 25,2 anos para as mulheres”, explica Eric Woerth.

Nem todos defendem esta reforma. Para a oposição francesa, estas são medidas injustas que vêm penalizar os mais fracos. Diz François Hollande, do Partido Socialista: “Isto significa pedir um esforço adicional àqueles que começaram a trabalhar cedo, àqueles que tiveram os trabalhos mais difíceis e as carreiras mais longas”.

Apesar destas críticas da oposição, o governo prometeu que quem começou a trabalhar antes dos 18 anos vai poder continuar a reformar-se aos 60.

O governo defende que esta é a única forma de contrariar o défice na Segurança Social, um buraco que pode atingir, segundo o executivo de Paris, os 100 mil milhões de euros em 2050, se estas medidas não fossem tomadas.

A França continua a ter uma das idades da reforma mais baixas de toda a Europa. Outros países estão a aumentar a idade legal da reforma, alguns deles para os 67 anos.