Última hora

Última hora

Mundial: bom ou mau para a África do Sul?

Em leitura:

Mundial: bom ou mau para a África do Sul?

Tamanho do texto Aa Aa

Os vendedores do bairro de Newton, em Joanesburgo, mostram-se satisfeitos com o negócio proporcionado pelo Mundial de Futebol.

Mas o Campeonato não trouxe apenas mais turistas à África do Sul. Trouxe melhores infra-estruturas, mas também vantagens imateriais, na opinião de alguns cidadãos.

“Para mim, o Campeonato do Mundo é algo que está a aproximar os sul-africanos, que está a desviar a sua atenção de qualquer tipo de conflitos. Só espero que os meus irmãos africanos possam ver o outro lado de viver em união, em vez de viver em conflito”, diz um habitante de Joanesburgo.

“Se os bafana bafana ganhassem, haveria mudanças, mas como a equipa não está a jogar bem, as pessoas estão em baixo”, afirma um sul-africano.

De volta às coisas materiais, visitámos a maior agência de publicidade sul-africana, que efectuou vários projectos para a FIFA. Será a queda dos bafana bafana um problema para a estratégia de comunicação deste Mundial?

“Eu não acho que a FIFA esteja profundamente interessada no sonho sul-africano, mas mais em vender bilhetes. Os bilhetes já foram vendidos. Portanto, missão cumprida. Agora, tudo tem de correr sem problemas: segurança, cobertura mediática, esse tipo de coisas. Os estádios têm de estar cheios. No que se refere a acompanhar o sonho, a FIFA não vai mudar a estratégia de comunicação do Campeonato do Mundo. São mais as marcas locais que estão ligadas aos bafana que vão ter de mudar a sua agenda”, explica o director criativo Jonathan Beggs.

Na quarta-feira, organizações não-governamentais manifestaram-se contra o facto de os pobres não serem beneficiados pelo Campeonato do Mundo. Os stewards grevistas, descontentes com os salários, juntaram-se ao protesto.