Última hora

Última hora

Bachelot tenta salvar a honra da França

Em leitura:

Bachelot tenta salvar a honra da França

Tamanho do texto Aa Aa

Salvar o que pode ser salvo da imagem da selecção francesa no Mundial da África do Sul e galvanizar os jogadores para o encontro de hoje contra a equipa da casa foi o que tentou a ministra francesa dos Desportos, esta segunda-feira.

Desde a expulsão de Nicola Anelka por insultos ao selecionador que os “bleus” estão na mira do mundo.

Roselyne Bachelot reuniu-se com os membros da federação, a equipa técnica e os jogadores e não economizou adjectivos para classificar um comportamento que considera “um desastre moral”

A ministra explicou em conferência de imprensa:
“Disse aos jogadores: foi para os vossos filhos, as nossas crianças que vocês deixaram se calhar de ser herois. Foi a imagem da França que vocês mancharam”.

A ministra pediu ainda uma exibição sem falhas no jogo desta terça-feira, exortando a equipa a jogar com o coração.

Mas os adeptos franceses não acreditam:

“Equanto apoiante da equipa de França, é difícil ouvir todas estas histórias. Não temos orgulho em vestir a camisola da equipa de França”, afirma um adepto.

Outro diz: “Todos os jogadores de qualquer equipa, de qualquer país sonham estar aqui para o Mundial, mesmo com um braço ou uma perna partida poderiam jogar e eles armam-se em estrelas”.

A França está em estado de choque e aguarda as consequências para os protagonistas desta novela. O comportamento dos membros da selecção tem feito as primeiras páginas de toda a imprensa:
“Bagunça”, “Motim”, foram substantivos usados pelos jornais e há até quem lhes tenha chamado “Desertores”.