Última hora

Última hora

Moscovo e Minsk resolvem diferendo sobre o gás

Em leitura:

Moscovo e Minsk resolvem diferendo sobre o gás

Tamanho do texto Aa Aa

A Rússia retomou o fornecimento de gás à Bielorrússia na quinta-feira. O conflito energético entre os dois países parece estar ultrapassado. O diferendo afectou alguns países europeus. O presidente bielorrusso, Alexander Lukashenko, disse ontem à euronews que compete agora à companhia russa Gazprom restabelecer totalmente o fornecimento de gás.

“Ontem pagámos a nossa dívida e pedimos à Gazprom, “por favor, retomem o abastecimento de gás”. Sei que alguns países europeus não estão a receber a totalidade do gás contratado mas não é a nós que têm que fazer perguntas, é à Gazprom.”

A Bielorrússia tinha uma dívida de cerca de 162 milhões de euros à Gazprom, mas a companhia russa devia a Minsk perto de 210 milhões de direitos de trânsito. O braço de ferro começou na segunda-feira e dois dias depois Moscovo cortou o fornecimento de gás.

Para o primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, “trata-se de um conflito com um país que tem relações especiais com a Rússia e por isso vai receber o gás natural ao preço mais baixo possível.”

De acordo com analistas do Institute of State Ideologies, de Londres, Moscovo recorreu novamente ao gás natural como arma política. A Rússia criou uma união aduaneira com o Cazaquistão e quer forçar a adesão da Bielorrússia ao espaço comum.