Última hora

Última hora

Comissão que investiga pedofilia na Bélgica demite-se

Em leitura:

Comissão que investiga pedofilia na Bélgica demite-se

Tamanho do texto Aa Aa

A Comissão independente para o tratamento dos abusos sexuais na Igreja Católica belga, presidida pelo pedopsiquiatra Peter Adriaenssens, demitiu-se em bloco.

Uma reacção ao método usado pela polícia belga, que na última semana confiscou documentos susceptíveis de provarem as acusações de abusos de menores por parte de certos membros da Igreja.

“A comissão não tem mais condições materiais para trabalhar. Todos os ficheiros e documentos foram confiscados na última quinta-feira. A comissão sublinha que tentou proteger sempre os direitos das vítimas, através de acordos com a justiça. Se não houvesse confiança nesta comissão, os 475 civis nunca tinham revelado informações pessoais em depoimentos”, diz Karlijn Demasure, da comissão demissionária.

A sede da arquidiocese de Malines-Bruxelas e a residência do antigo arcebispo, cardeal Godfried Danneels, também foram alvo de buscas, o que levou a várias reacções, incluindo a do Papa.

Em comunicado, Bento XVI considerou “deplorável” o comportamento da polícia.

Embora não tenha sido revelada a fonte das queixas que levaram a justiça belga a desencadear as buscas de ontem, alguns meios de informação locais sugeriam o envolvimento de um padre reformado, Rik Devillé, que teria denunciado à hierarquia nos anos 90 casos de abusos sexuais.