Última hora

Última hora

Quirguistão adopta nova Constituição

Em leitura:

Quirguistão adopta nova Constituição

Tamanho do texto Aa Aa

O Quirguistão adoptou este domingo uma nova Constituição em referendo.

Uma vitória para Rosa Otunbayeva, líder do governo interino do país, que considera que “o povo colocou um ponto final aos tempos de gestão autoritária e familiar”.

A Constituição reforça o poder do Parlamento para evitar a concentração do poder nas mãos do chefe de Estado.

Abdurahman Aripov, estudante, não acredita numa democracia parlamentar no país. Diz que “o governo é corrupto e que os resultados serão sempre conformes ao que quer o executivo”.

O referendo manteve-se apesar da situação permanecer insegura no sul do país. A cidade de Osh foi o epicentro da violência que há duas semanas opôs quirguizes e uzbeques, deixando centenas de mortos e milhares de refugiados.

Uma mulher da etnia quirguize dá o voto de confiança a Rosa Otunbayeva que, na sua opinião, “poderá fazer com que pessoas de etnias diferentes vivam juntas”.

Com a quase totalidade das mesas de voto apuradas, 90,7% dos eleitores pronunciaram-se a favor do novo texto contra 8% desfavoráveis. Os resultados definitivos são esperados dentro de dois dias. A Comissão Eleitoral relatou uma taxa de participação de 70%.

O “sim” reconhece a legitimidade do governo interino e abre caminho para eleições legislativas em Setembro. Otunbaeva, a primeira mulher a liderar um Estado da Ásia Central , mantém-se como presidente interina até finais de 2011.

O Quirguistão passa a ter eleições legislativas de cinco em cinco anos. O presidente fica limitado a um único mandato de seis anos.