Última hora

Em leitura:

Quirguistão: Rússia céptica quanto a democracia


Quirguistão

Quirguistão: Rússia céptica quanto a democracia

No Quirguistão, os resultados das eleições divulgados esta segunda-feira sugerem a vontade de criação de uma democracia parlamentar no país.

Segundo os números oficiais, 90.6% dos eleitores apoiam uma nova constituição que abrirá caminho a eleições parlamentares em Outubro.

Reagindo ao resultado das eleições, o presidente russo, Dmitry Medvedev revelou-se céptico sobre esta via.

Falando a partir do Canadá onde participou na cimeira do G20, Medvedev afirma que não vê como o modelo de república parlamentar possa funcionar no Quirguistão. Segundo o presidente russo, as tensões étnicas poderão abrir a porta do poder a forças extremistas.

Pelo menos 294 pessoas morreram este mês na sequência de violência étnica entre quirguizes e uzbeques no sul do país.

A líder interina, Roza Otunbayeva, falando no Domingo antes do anúncio dos resultados, afirmou que o Quirguistão havia iniciado o caminho rumo à democracia.

Nas ruas os efeitos da violência permanecem visíveis. Um cidadão quirguize entrevistado afirma esperar apenas que a situação se acalme de forma a que a sua vida possa regressar à normalidade.

Tanto os Estados Unidos como a Rússia afirmam que apoiam a criação de um governo forte na região.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

mundo

Comissão que investiga pedofilia na Bélgica demite-se