Última hora

Última hora

Relações EUA-Rússia mantém-se de "pedra e cal"

Em leitura:

Relações EUA-Rússia mantém-se de "pedra e cal"

Tamanho do texto Aa Aa

No calor do escândalo que ressuscitou o clima da “Guerra Fria”, Estados Unidos e Rússia enviam uma mensagem de tranquilidade ao mundo.

A Casa Branca anunciou que as detenções de alegados espiões ao serviço da Rússia nos Estados Unidos não terão consequências no relançamento dos laços com o Kremlin. Moscovo assegura igual empenhamento.

A polémica acontece uma semana depois da visita de Dmitri Medvedev a Washington.

O presidente russo foi recebido pelo homólogo norte-americano, Barack Obama. Chegaram mesmo a selar um compromisso de reaproximação à mesa.

Peter Earnest tem dúvidas em relação ao futuro da união entre as duas potências. “Revelar esta rede, logo depois da visita de Medvedev a Washington, faz-nos pensar: “Estamos a enviar uma mensagem? Estamos a dizer: atenção, sabemos do caso, por isso parem com isso. Acho curioso o timing escolhido para fazer esta revelação”, diz o antigo agente da CIA.

Nesta operação foram detidas onze pessoas, acusadas de espionagem nos Estados Unidos, ao serviço da Rússia.

Por agora, desconhece-se o método usado pelos supostos agentes, apesar de já se conhecer a identidade de alguns. Caso de Anna Chapman que tinha uma página na rede social Facebook.