Última hora

Última hora

Arno: "Sem a Europa, a Bélgica não existe"

Em leitura:

Arno: "Sem a Europa, a Bélgica não existe"

Tamanho do texto Aa Aa

Arno, 61 anos, é um actor e cantor de origem flamenga mas bastante conhecido no mundo francófono. Canta em inglês, francês e holandês. A questão belga vista por um belga… A visão de uma personagem singular numa entrevista singular.

Sergio Cantone, euronews: A Bélgica vai assumir a presidência da União Europeia, mas, após todas as polémicas, ainda podemos dizer que a Bélgica existe?

Arno, artista: Sem a Europa, a Bélgica não existe. Sem a Europa, a Flandres não existe… hoje. Sem a Europa, a Valónia não existe…hoje. Bruxelas também não. E sem Bruxelas, a Flandres não existe também, porque há 350 mil flamengos que trabalham todos os dias em Bruxelas.

euronews: Tendo em conta que vamos para uma presidência belga da União, podemos perguntar se a Bélgica poderia existir sem a Europa?

Arno: Exactamente. Tenho um problema com os políticos de todos os lados, francófonos e flamengos, da Flandres e da Valónia. Eles pensam só a nível local. Viajo muito, e penso em toda a Bélgica, há apenas dez milhões de pessoas. Há mais pessoas em Paris do que na Bélgica, há mais pessoas em Londres do que na Bélgica, há mais gente em Los Angeles do que na Bélgica.

Quando estou aqui, em Bruxelas, e alivio a bexiga, se me viro para norte molho Amesterdão, se me viro para sul, molho Paris. Vês a confusão.

Nasci no pós-guerra, conheci os anos sessenta, setenta, oitenta, noventa e tudo era possível. Vivemos épocas de abundância, onde tudo era fácil, tudo era possível, mas agora, acabou tudo.

euronews: Pensa que dividir agora aquilo que foi construído com muitas dificuldades, como a União Europeia, poderia levaria a uma situação ainda mais grave, ou talvez, melhor? O que pensa?

Arno: Eu temo que se agrave, porque o nacionalismo criou guerras. Conhecemos a história e mesmo alguém cego conseguiria ver isso! Toda a confusão…Tenho medo e espero não ser demasiado pessimista, mas um pessimista, como costumo dizer, é um optimista com muita experiência. Somos mesmo assim seres humanos e europeus.