Última hora

Última hora

Trabalhadores param na China

Em leitura:

Trabalhadores param na China

Tamanho do texto Aa Aa

Na China os trabalhadores de uma empresa japonesa, a operar próximo de Pequim, entraram no terceiro dia de greve.

Situações como esta têm vindo a intensificar-se nos últimos dias em vários pontos do país. Os funcionários fabris exigem melhores salários e condições de trabalho.

Na China os movimentos grevistas são uma ameaça à política de competitividade do país, a resposta reside na população rural que se desloca para a cidade.

Yi Xianrong, da Academia Chinesa de Ciências Sociais explica: “algumas pessoas perguntam-se como podemos ter, há tantos anos, trabalho a baixo custo e dizem que a situação vai alterar-se em 2015. Eu não concordo principalmente porque a população rural é muito vasta. São dois terços da população”.

O crescimento económico chinês baseia-se, em grande parte, na mão-de-obra barata, e as exigências dos trabalhadores traduzem-se em preços mais altos para os consumidores de todo o mundo.

A situação dos funcionários fabris na China é complexa. Há registo de diversos suicídios em algumas unidades importantes no país.