Última hora

Última hora

Governo de Berlusconi quer proibir divulgação de escutas

Em leitura:

Governo de Berlusconi quer proibir divulgação de escutas

Tamanho do texto Aa Aa

Em Roma e em várias outras cidades italianas, centenas de pessoas saíram à rua para protestar contra a chamada “táctica da mordaça”.

Um projecto-lei que prevê multas pesadas e pena de prisão para os jornalistas que divulgarem o conteúdo de escutas telefónicas incluídas em investigações oficiais.

As manifestações, convocadas pela Federação Nacional de Imprensa, estão projectadas também para Paris, Londres e Bruxelas.

“Não é possível cancelar a liberdade de expressão com uma lei assim, que amordaça, silencia, censura, notícias de crimes ou justiça, com o objectivo explícito – até agora bem claro – de não proteger os mais fracos de abusos, mas de proteger os poderosos de crimes que às vezes cometem”, diz Franco Siddi, secretário da Associação Nacional de Imprensa.

A polémica está instalada. Os partidos da oposição contestam em coro o projecto-lei.

“Queremos impedir esta lei de seguir em frente: pedimos a toda a gente para tomar medidas, caso contrário pode degradar o trabalho dos magistrados ou impedi-lo mesmo”, acrescenta Nando Bonessio, dirigente dos “Verdes”.

O novo projecto-lei surge após a publicação de conversas entre uma prostituta e Berlusconi, nas quais se fala da vida sexual deste.

A 29 de Julho a proposta vai ao plenário da Câmara dos Deputados, para ser debatida e aprovada. No próximo dia 9 os jornais param por 24 horas para um “jornada de silêncio”.