Última hora

Última hora

França: Despesas abusivas custam o cargo a dois secretários de Estado

Em leitura:

França: Despesas abusivas custam o cargo a dois secretários de Estado

Tamanho do texto Aa Aa

A oposição acusa o governo francês de despedir dois elementos para salvar o ministro do Trabalho e silenciar o escândalo que o envolve.

Sai do governo Alain Joyandet, secretário de Estado da Cooperação, que alugou um jacto de mais de 116 mil euros e beneficiou de uma licença de construção ilegal para obras na sua casa.

Sai também Christian Blanc, com a pasta do Desenvolvimento de Paris, acusado de ter gasto 12 mil euros em charutos cubanos, pagos pelo Estado.

Marine Le Pen, vice-presidente da Frente Nacional, defende que houve uma estratégia para “defender o soldado Woerth”. Para isso, diz que se “sacrificaram” dois secretários de Estado, mas que “as suspeitas que caem sobre o ministro são muito mais sérias”.

O ministro do Trabalho, Eric Woerth, é suspeito de ter encoberto a fraude fiscal da mulher mais rica de França, Liliane Bettencourt. Na altura em que era ministro do Orçamento, a esposa geria os interesses da milionária.

Nicolas Sarkozy prometeu, há três anos, uma “República irrepreensível”. Hoje, 64% dos franceses vêem os dirigentes políticos como “corruptos”, de acordo com uma sondagem publicada no jornal “Libération”.