Última hora

Última hora

O campeonato da esperança sul-africana

Em leitura:

O campeonato da esperança sul-africana

Tamanho do texto Aa Aa

Vitória da Espanha, mas também vitória da África do Sul, que provou a si própria ser capaz de organizar um Campeonato do Mundo de Futebol.

Numa escala de 10, Joseph Blatter deu-lhe uma nota de 9.

O presidente sente-se feliz:

“Sinto realmente um bem estar aqui e hoje podemos dizer com orgulho: nós fizémo-lo! É um momento emocional para esta nação de apenas 16 anos, que ainda recentemente emergiu dos horrores do apartheid.”

O momento é de esperança. Quem agora visitou a África do Sul deve voltar, para outro tipo de turismo.

Espera-se também que a capacidade agora revelada se estenda a outros aspectos da vida dos sul-africanos, como diz uma moradora de Joanesburgo:

“Estou orgulhosa, como sul-africana e tenho muito esperança. Tenho muita esperança para a nossa educação, esperança para o nosso turismo, a nossa economia. Sinto que os sul-africanos são capazes”.

Outro habitante da cidade diz que há mais raZões, para os turistas regressarem à África do Sul.

“Isto não acaba, eu penso que as pessoas voltam, outra vez Vão querer voltar, não apenas pelo futebol, mas estou a pensar no rugby. no cricket e em muitas outras coisas”.

Mas há uma outra África do Sul que escapa aos cenários de um mundial de futebol.

Subsistem grandes bolsas de pobreza, em bairros infra-humanos, autênticos viveiros da criminalidade sul-africana.

O jornal britânico The Times diz que o país tem agora de agir da mesma maneira, para dar serviços básicos à sua população.