Última hora

Última hora

Acusações de neocolonialismo ensombram cerimónias do feriado nacional em França

Em leitura:

Acusações de neocolonialismo ensombram cerimónias do feriado nacional em França

Tamanho do texto Aa Aa

A França comemora, esta quarta-feira, o feriado nacional. Para a ocasião, o presidente Nicolas Sarkozy convidou os soldados das antigas colonias africanas para desfilarem em Paris.

A parada militar tem suscitado alguma controvérsia. Críticos dizem que o gesto é paternalista e que a França está a tentar alargar a sua influência junto destes países africanos.

Uma intenção que é afastada pelo chefe das tropas estrangeiras.

“Estes são aqueles que lutaram nas nossas fileiras na I e II Guerra Mundial. Deram o próprio sangue e por isso têm direito ao nosso respeito e ainda lutam connosco em missões no exterior”, disse Benoît Cappelle.

Ao todo participam na cerimónia, nos Campos Elísios, 400 soldados.

Em 2010, celebra-se os 50 anos da independência de 17 países africanos, 14 dos quais antigas colónias francesas.