Última hora

Última hora

Mais dois dissidentes cubanos esperados em Madrid

Em leitura:

Mais dois dissidentes cubanos esperados em Madrid

Tamanho do texto Aa Aa

Espanha aguarda pela chegada de mais dois dissidentes cubanos. Os jornalistas foram condenados em 2003 e cumpriam penas de 25 e 27 anos de cadeia.

Os prisioneiros políticos e os familiares vão juntar-se ao primeiro grupo ontem chegou ao aeroporto de Madrid. Uma viagem onde a tristeza e alegria convivem lado a lado.

“Estou muito contente por vê-lo, mas também estou triste por ter deixado a minha pátria. É doloroso” afirma a mulher de um prisioneiro político.

Os dissidentes saíram de Havana rumo a Madrid. O futuro fora de Cuba ainda não está decidido, mas promete ter em conta a actual situação económica.

“A crise financeira não afecta apenas Espanha, mas todo o mundo. Neste momento não podemos isolar questões que são globais. Cada um de nós vai ter que decidir se quer ficar me Espanha, Miami ou noutro lugar, após uma reunião que vamos ter com as autoridades locais. Para isso, tem de haver consenso entre nós e entre as nossas famílias” refere o dissidente Julio Cesar Galvez.

Para já os dissidentes estão a receber apoio da Cruz Vermelha. A integração na sociedade espanhola – caso decidam ficar – é o passo que se segue.

Muitos aguardam por uma nova revolução para regressar à pátria:

“Não gosto de especular sobre o fim do regime cubano ou ver isto como um sinal de fraqueza.
Penso que Raul Castro pode introduzir mudanças em Cuba porque tem poder para isso” afirma
Pablo Pacheco.

No total 52 dissidentes devem deixar a prisão até Outubro. Trata-se do mais importante processo de libertação desde 2006, altura em que Fidel Castro passou o testemunho ao irmão.