Última hora

Última hora

Libertados colaboradores de Bettencourt

Em leitura:

Libertados colaboradores de Bettencourt

Tamanho do texto Aa Aa

Quatro fuguras próximas da herdeira do empório L’Oreal foram libertadas, esta sexta-feira, depois de terem estado sob custório judicial, desde a manhã do dia anterior.

Um dos interrogados é o gestor da fortuna pessoal da mulher mais rcica de França. Patrice Maistre é tido como peça-chave de todo o processo..

É suspeito de fraude fiscal, financiamento ilícito do partido de Sarkozy. Um escândalo que envolve o ministro Eric Woerth.

Outro suspeito é François-Marie Banier, fotógrafo, acusado pela filha de Lilliana Betencourt de lhe extorquir avultadas somas de dinheiro.
Por isso, a filha, Françoise Meyers, pediu a interdição judicial da mãe.

Acha que aos 87 anos, ela não está em condições de gerir a décima sétima fortuna mundial, avaliada em 17 mil milhões de euros.

Sob interrogatório esteve também Carlos Vejarano, o administrador da Ilha de Arros, nas Seychelles, adquirida pela milionária em 1999.

O quarto suspeito é o fiscalista, Fabrice Goguel.

O assunto está a suscitar outra polémica. O juiz de Instrução que dirige o inquérito é Philippe Courroye, considerado próximo de Nicolas Sarkozy.

Os sindicatos dos magistrados já o aconselharam a evocar a objecção de consciência.