Última hora

Última hora

Veteranos da missão Apolo-Soyuz marcam 35 anos em Moscovo

Em leitura:

Veteranos da missão Apolo-Soyuz marcam 35 anos em Moscovo

Tamanho do texto Aa Aa

Há 35 anos, três astronautas norte-americanos e dois cosmonautas russos punham, em plena Guerra Fria, um ponto final a duas décadas de corrida espacial entre as duas grandes potências mundiais.

Esta segunda-feira, os quatro veteranos ainda vivos de uma das mais simbólicas missões espaciais juntaram-se em Moscovo para marcar o aniversário da histórica acoplagem da nave soviética Soyuz-19 e da norte-americana Apolo-18, a 17 de Junho de 1975.

O encontro decorreu no Museu do Espaço da capital russa, três dias depois de uma comemoração semelhante em Nova Iorque.

O comandante do Apolo-18 lembra-se do momento “em que abriu a escotilha e disse:‘No espaço, abrimos também uma nova era na Terra’”.

O veterano cosmonauta Alexei Leonov recorda a camaradagem entre homens vindos de países então inimigos. Lembra que o astronauta “Tom Stafford disse:‘Olá Alexei’” e ele “disse:‘Bem-vindo a bordo da Soyuz’. Apertaram as mãos” e ele “arrastou Tom Stafford para dentro da nave”.

Astronautas e cosmonautas aproveitaram o aniversário para desejar a continuidade da tradição de cooperação internacional no Espaço iniciada há 35 anos com a missão Apolo-Soyuz.