Última hora

Última hora

Venezuela-Colômbia: Tensão ao rubro

Em leitura:

Venezuela-Colômbia: Tensão ao rubro

Tamanho do texto Aa Aa

Crise diplomática entre a Venezuela e a Colômbia. O presidente Hugo Chavez cortou as relações diplomáticas e colocou o exército em alerta na fronteira com o país vizinho, depois de ter sido acusada de albergar os rebeldes das FARC.

Foi durante uma visita do seleccionador argentino, Maradona, que Chavez afirmou: “Nós, Venezuela, a partir deste momento, cortamos todos os contactos com o governo colombiano. Esperamos que nada de grave aconteça nestes últimos dias de mandato do presidente Uribe”.

Na reunião da Organização de Estados Americanos, em Washington, a Colômbia apresentou vídeos e fotos para provar que 1500 guerrilheiros das FARC vivem impunemente na Venezuela, de onde lançam ataques e raptos e gerem o tráfico de droga.

O embaixador colombiano na organização, Luis Alfonso Hoyos, pediu que fosse “criada uma comissão internacional e que ela possa visitar todos os locais citados nos próximos trinta dias”.

Esta não é a primeira vez que Bogotá acusa Caracas de proteger as FARC. No ano passado, a Colômbia apreendeu armas à guerrilha que a Suécia reconheceu ter vendido à Venezuela nos anos oitenta. Além disso, a Venezuela mediou a libertação de vários reféns das FARC.

Esta crise acaba por ser um combate ideológico entre Chavez, de esquerda e anti-americano, contra um país aliado de Washington. No ano passado, Caracas cortou as relações comerciais com Bogotá depois da Colômbia ter assinado um acordo para o uso de bases militares do país pelos Estados Unidos, no quadro da luta contra o narcotráfico.

A Venezuela vê a presença militar americana como uma ameaça e acusa Washington de manipular Uribe e as informações sobre as FARC.