Última hora

Última hora

Documentos confidenciais sugerem ligações entre Paquistão e talibãs

Em leitura:

Documentos confidenciais sugerem ligações entre Paquistão e talibãs

Tamanho do texto Aa Aa

Os serviços secretos paquistaneses colaboraram activamente com os talibãs no Afeganistão.

Pelo menos é o revelam os documentos confidenciais sobre a guerra em território afegão nos últimos anos, agora, tornados públicos na internet.

A Casa Branca já condenou a publicação. O fundador do site Wikileaks defende que o bom jornalismo é controverso por natureza:

“É claro que nos dá uma outra perspectiva daquilo que tem sido a guerra nos últimos seis anos e o rumo que é preciso seguir, mas a forma como essa mudança vai ocorrer ainda não é clara” refere Julian Assange.

Seis anos de guerra reunidos em mais de 90 mil documentos. O ex-comandante das forças britânicas no Afeganistão critica a publicação. Uma atitude que classifica de irresponsável e que, adianta, põe em risco a vida dos que lutam contra os insurgentes.

“Não me parece ao publicar estas informações na internet o Wikileaks se esteja a comportar de uma forma responsável. Penso que é exactamente o contrário. Não ajuda ninguém a compreender esta guerra nem muda o rumo do conflito. Coloca, sim, potencialmente em risco a vida de mais soldados e fortalece os insurgentes” afirma Richard Kemp.

O Pentágono pretende avaliar nos próximos dias os efeitos colaterais causados pela fuga de informação.

O embaixador do Paquistão nos Estados Unidos garante que as informações não reflectem a realidade no terreno.