Última hora

Última hora

A hora da ruptura no partido de Berlusconi

Em leitura:

A hora da ruptura no partido de Berlusconi

Tamanho do texto Aa Aa

Reunião de crise no interior do partido de Silvio Berlusconi, num momento em que o Povo da Liberdade (PdL) está à beira da ruptura.

O presidente italiano exigiu ontem a demissão de um dos seus principais aliados e co-fundador da formação, Gianfranco Fini, da presidência do parlamento.

Fini, já afirmou que não abandona o cargo e que vai criar um novo partido que poderá retirar a maioria a Berlusconi.

Alguns analistas falam já da possibilidade de eleições antecipadas, uma vez que Fini conta com o apoio de pelo menos 35 deputados e 15 senadores.

Para Berlusconi, “o partido Povo da Liberdade considera que as posições de Fini são incompatíveis com os princípios que inspiram esta formação e com o compromisso estabelecido com os eleitores”.

Nas últimas semanas, as dissensões entre os dois homens têm vindo a subir de tom dentro do partido.

Fini foi um dos principais críticos do projecto de lei do governo para proibir a publicação de escutas telefónicas, não poupando palavras para exigir a demissão de todos os membros do governo que são alvo de processos judiciais.

No mais recente incidente, Fini tinha confessado publicamente ter dúvidas quanto às reais intenções do governo em combater a mafia.