Última hora

Última hora

Cheias no Paquistão matam oitocentas pessoas

Em leitura:

Cheias no Paquistão matam oitocentas pessoas

Tamanho do texto Aa Aa

Pelo menos oitocentas pessoas perderam a vida em consequência das monções que assolam o Paquistão. Para além dos mortos há um número incalculável de desaparecidos. Quase um milhão de pessoas foram afectadas por esta intempérie.

No noroeste do país, as autoridades dizem que estão a viver-se as piores inundações desde 1929.

Um habitante de uma das localidades afectadas diz que as condições são muito más. Há pessoas sentadas nos telhados das suas casas, muitas mulheres, que não têm comida nem água.

A propagação de doenças é um dos problemas que se põe neste momento. Há médicos a trabalhar em espaços improvisados, em condições precárias.

Um destes médicos explica que o maior problema são as crianças e os mais velhos. Há problemas de diarreia. A maioria das mulheres, crianças e homens queixam-se de dores de barriga e têm a pele cheia de manchas. Devido às águas muitos têm também febre e tosse.

Em algumas regiões as inundações parecem estar a diminuir mas, no geral, a situação é ainda difícil de controlar. Muitas pessoas esperam por um salvamento aéreo ou de barco, a falta de bens de primeira necessidade é o grande problema.