Última hora

Última hora

Esquerda ataca Sarkozy

Em leitura:

Esquerda ataca Sarkozy

Tamanho do texto Aa Aa

A esquerda francesa acusa Nicolas Sarkozy de atacar o princípio da igualdade na lei para reconquistar o eleitorado.

Após a catástrofe nas eleições regionais, há quem acredite que o Presidente gaulês está a preparar as presidenciais de 2012.

Esta sexta-feira, em Grenoble, o chefe de estado anunciou que deve ser possível retirar a nacionalidade francesa aos estrangeiros que atentem contra as autoridades.

Actualmente, em França, esta situação está limitada a casos excepcionais, como o terrorismo.

As declarações de Sarkozy correram o mundo. Em França, os especialistas na matéria não concordam com o presidente. Guy Carcassone, perito em direito constitucional, explica que o primeiro artigo da Constituição diz que a República assegura a igualdade de todos os cidadãos na lei sem distinção de origem. E acrescenta que não é possível, de maneira alguma, retirar a nacionalidade porque não podem existir pessoas sem pátria. Isso é proibido pelo Direito Internacional.

A Presidente do Sindicato dos Magistrados, Clarisse Taron, afirma que, a nível jurídico a medida é inaplicável e que a nível político é chocante. “É uma questão de aplicar medidas de eliminação e repressão sem se tentar procurar e compreender a origem das desordens”, acrescenta.

As medidas que Sarkozy pretende implementar surgem na sequência dos últimos protestos violentos que ocorreram em Grenoble. Manifestações contra o facto da polícia ter morto um alegado assaltante de um casino.