Última hora

Última hora

Greve de camionistas na Grécia: consequência e causa da crise

Em leitura:

Greve de camionistas na Grécia: consequência e causa da crise

Tamanho do texto Aa Aa

Os camionistas gregos começam lentamente a regressar ao trabalho após sete dias de greve que paralisaram o país.

O governo mobilizou, nos últimos dias, o exército e a marinha para assegurar o transporte de bens essenciais.

Atenas afirma que a situação poderá regressar ao normal na próxima segunda-feira, num momento em que a penúria de combustíveis atinge várias regiões do país.

Na ilha de Creta, o protesto dos camionistas ameaça os esforços do governo para saír da crise, tendo atingindo recursos chave como o turismo.

O dono de uma empresa de aluguer de automóveis afirma que, “os danos são incalculáveis. Os nossos veículos desaparecem, abandonados por clientes em pânico, que ficam sem combustível e têm medo de perder os seus voos de regresso”.

O turismo representa um quinto do PIB grego, dando emprego a um em cada cinco habitantes.

Em plena época de férias, os hotéis de Creta estão longe de estarem sobrelotados.

A paralisação afecta também os agricultores, impedidos de escoarem os seus produtos.

“Estamos a enfrentar uma verdadeira catástrofe pois não podemos transportar as nossas uvas. Tivemos que suspender as colheitas, os cachos vão ficar demasiado maduros e será cada vez mais difícil encontrar compradores”.

A greve dos camionistas torna-se consequência e causa da crise económica. Os sindicatos rejeitam o projecto do governo de liberalizar o sector, uma medida incluída no plano de austeridade de Atenas.