Última hora

Em leitura:

Calma na fronteira libaneso-israelita


Israel

Calma na fronteira libaneso-israelita

A calma voltou à fronteira entre o Líbano e Israel, depois dos confrontos entre os dois exércitos que fizeram quatro mortos.

Do lado libanês, registaram-se três baixas, dois soldados e um jornalista. Do lado de Israel, está confirmada a morte de um tenente-coronel.

Tudo começou com um mero incidente fronteiriço, mas as marcas dos tiros estão por todo o lado.

Em Beirute, o Presidente libanês convocou uma reunião do Conselho Superior de Defesa, que atribui a responsabilidade dos incidentes a Israel:

“As intruções que demos são para combater qualquer agressão à nossa terra, ao nosso povo, ao nosso exército, usando todos os meios disponíveis e todos os esforços. O Conselho atribiu a responsabilidade ao inimigo israelita, por esta agressão que causou mártires, feridos e prejuízos materiais”.

As hostilidades começaram quando o exército de Israel tentou abater uma árvore, plantada em território libanês, junto da chamada cerca técnica.

Uma operação que a porta-voz do exérciro hebraico considera de rotina:

“Os soldados da Força de Defesa Israelita, que estava do lado israelita da fronteira, faziam o seu trabalho de rotina – repito – do lado israelita da fronteira – quando foi aberto fogo, muito bem planeado, sobre esses soldados”.

Com o cair da noite, intensificaram-se as acções de patrulhamento, dos dois lados da fronteira.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

mundo

Comissão "aprova" centro islâmico próximo do Ground Zero