Última hora

Última hora

Deslizamento de terras na China

Em leitura:

Deslizamento de terras na China

Tamanho do texto Aa Aa

O primeiro ministro chinês, Wen Jiabao, deslocou-se aos locais afectados pelos deslizamentos de terras ocorridos no sábado à noite que provocaram pelo menos cento e vinte e sete mortos e cerca de mil e trezentos desaparecidos.

No local Wen Jiabao falou a um homem soterrado: “Meu amigo, aguente-se que vamos salvá-lo.”

O desastre ocorreu na província de Gansu, maioritariamente tibetana, situada no noroeste do país. O presidente Hu Jintao pediu às equipas de socorro para fazer tudo o que estiver ao seu alcance para salvar vidas na zona afectada.

Segundo a televisão estatal chinesa, as autoridades destacaram 3.000 soldados e uma centena de membros de pessoal médico para participarem nas operações de busca e salvamento.

A electricidade foi cortada na maior parte da região, a última a ser atingida pelas chuvas torrenciais, que, desde o início do ano, fizeram mais de 2.100 mortos ou desaparecidos em todo o país e provocaram a deslocação de cerca de 12 milhões de pessoas.