Última hora

Última hora

China: jovens suicidam-se no local de trabalho

Em leitura:

China: jovens suicidam-se no local de trabalho

Tamanho do texto Aa Aa

O suícidio no local de trabalho, que tanta tinta fez correr na France Telecom, no ano passado, é também uma preocupação nas empresas asiáticas de electrónica.

Na Foxconn, na China, o assunto está a ser levado a sério particularmente desde que uma jovem de 22 se atirou de uma janela do edifício em que trabalhava, na fábrica de Kunshan, no dia 4 de Agosto.

Um trabalhador de 18 anos diz que “antes desde que começavam a trabalhar até que terminavam não tinham direito a pausa, mas agora já têm tempo para descansar”.

As condições de trabalho nestas fábricas levaram ao suícidio de 12 pessoa desde o princípio do ano.

Uma espécie de festival foi organizado no complexo da fábrica para mostrar a preocupação dos responsáveis, mas para o sindicalista Geoffrey Crothall é muito simples:

“Este evento não vai fazer mudar nada, é apenas teatro. O que a Foxconn precisa é de tratar os trabalhadores como seres humanos e pagar-lhes um salário decente. Não é assim tão difícil”, afirma

A empresa tinha posto em prática uma série de medidas como acompanhamento psicológico e aumentos de salários.

A maioria dos suícidios acontece entre os jovens. A Foxconn decidiu que a partir de agora vai recrutar trabalhdores de idades mais avançadas, com perfis mais estáveis.