Última hora

Em leitura:

Muçulmana proibida de usar véu islâmico processa Disney


EUA

Muçulmana proibida de usar véu islâmico processa Disney

Nem a Disneyland, no sul da Califórnia, escapa à polémica do véu islâmico.

Uma funcionária do parque de diversões apresentou queixa à Comissão de Igualdade de Oportunidades de Trabalho dos Estados Unidos, por ser impedida de usar o hijab no emprego.

Imane Boudlal trabalha há mais de dois anos num restaurante do parque, mas durante o Ramadão resolveu desafiar a política da empresa e usar o véu islâmico na Disneyland: “Eles disseram: “Podemos dar-lhe um chapéu ou qualquer coisa assim”. Um chapéu, ou qualquer coisa? Fiquei chocada. O que é que querem dizer com isso? Só quero que me deixem usar o meu hijab, mas eles responderam: “Estas são as suas opções, ou trabalha, ou vai para casa”.

Suzi Brown, a porta-voz do parque garante que está a trabalhar para resolver o problema.

De acordo com o porta-voz do sindicato de Boudlal, Leigh Shelton, a Disney ofereceu um cargo sem contacto com o público para permitir o uso do véu islâmico.

No entanto, a jovem, nascida em Marrocos, sente-se humilhada.

Este episódio volta a despertar controvérsia nos Estados Unidos, depois do anúncio da construção de uma mesquita nas imediações do “Ground Zero”, projecto que conta com o apoio do presidente Barack Obama.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

mundo

Eleições na Austrália