Última hora

Última hora

Condenado de Lockerbie foi libertado há um ano

Em leitura:

Condenado de Lockerbie foi libertado há um ano

Tamanho do texto Aa Aa

Um ano depois da libertação do único condenado pelo atentado de Lockerbie, o governo britânico adverte a Líbia para não fazer qualquer festejo.

A Escócia libertou Abdelbaset al-Megrahi a 20 de Agosto do ano passado para poder morrer na Líbia. Os médicos davam-lhe três meses de vida por causa de um cancro terminal. Hoje, um médico líbio deu-lhe mais sete anos…

Lockerbie não esqueceu o atentado de 1988. Muitas pessoas continuam indignadas com a libertação. O assunto cobre as primeiras páginas dos jornais.

“A libertação foi para a frente. Mas, honestamente, não foi bem pensado, foi feito de forma precipitada”, diz um residente.

A maioria das vítimas de Lockerbie era dos Estados Unidos. Há senadores americanos que falam na libertação do líbio em troca de chorudos contratos entre a Líbia e a petrolífera britânica BP. O ministro escocês da Justiça, Kenny MacAskill, defende-se.

“A decisão nunca iria satisfazer toda a gente. Não houve consenso. Alguns eram contra, outros a favor. Assumo a minha responsabilidade, segui as leis da Escócia, actuei de acordo com a decisão dos especialistas e mantenho a decisão”, declarou Kenny MacAskill.

Em 2001, Megrahi foi condenado a 27 anos de prisão pelo atentado à bomba contra um avião em 1988. O aparelho explodiu quando sobrevoava a cidade de Lockerbie, matando 270 pessoas. Megrahi continua vivo e livre.