Última hora

Última hora

Abbas e Netanyahu vão negociar face-a-face

Em leitura:

Abbas e Netanyahu vão negociar face-a-face

Tamanho do texto Aa Aa

A partir de 2 de Setembro, o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, e o presidente palestiniano, Mahmud Abbas, vão negociar pessoalmente. A chefe da diplomacia americana, Hillary Clinton, reconhece que a tarefa não será fácil, mas considera possível obter um acordo de paz dentro de um ano.

Este é resultado de meses de esforços do enviado norte-americano para o Médio Oriente. George Mitchell afirma que serão “parceiros activos e constantes, embora se trate de discussões bilaterais” e que as duas partes sabem que “é apropriado e necessário” que haja propostas de mediação.

Serão as primeiras negociações directas entre israelitas e palestinianos em 20 meses.

O governo hebraico aceitou rapidamente o convite americano e diz que um acordo será difícil, mas é possível. O porta-voz do executivo, Mark Regev, afirma: “Israel saúda o convite americano para iniciar negociações de paz directas com os palestinianos sem pré-condições. Há cerca de ano e meio que o primeiro-ministro Netanyahu apela à realização de negociações”.

Sem pré-condições, nem por isso. O convite americano foi aceite também pela Autoridade Palestiniana, mas esta ameaça abandonar as discussões a 26 de Setembro se Israel não mantiver a moratória sobre a colonização na Cisjordânia, que os mais radicais do governo israelita querem abolir.

O negociador palestiniano, Saeb Erekat, defende: “É hora dos dois lados respeitarem as obrigações e compromissos e esperamos que o governo israelita escolha a paz e não os colonatos”.

Israel bloqueou a construção de colonatos na Cisjordânia, mas não é Jerusalém Leste. O estatuto da cidade santa, as fronteiras e os refugiados são várias as questões por resolver há décadas.