Última hora

Última hora

França não recua na política de expulsão de ciganos

Em leitura:

França não recua na política de expulsão de ciganos

Tamanho do texto Aa Aa

O governo francês mantém a determinação de expulsar os emigrantes romenos e búlgaros apesar das críticas de que é alvo.

Paris recebeu hoje dois ministros romenos para discutirem a legalidade da situação.

O ministro francês para os Assuntos Europeus defende que “estas expulsões são efectuadas ao abrigo de uma directiva de 2004 e que não se aplica apenas a romenos. Ela aplica-se a belgas, portugueses, espanhóis, como é de direito no quando europeu. Nós completamos este regresso com um pouco de dinheiro, o que nehum outro estado europeu faz. Penso que as críticas são excessivas” disse Pierre Lelouche.

Com uma ajuda financeira de 300 euros por adulto e 100 por criança mais de 8000 familias clandestinas foram já reconduzidas para fora do país, uma política que irá continaur como garante o ministro francês do Interior, Brice Hortefeux: “Vamos prosseguir com o desmantelamento dos campos ciganos ilegais. Imagina um só segundo, a primeira ou segunda maior democracia do mundo, os Estados Unidos, por exemplo, a aceitar a instalação de 250 caravanas provenientes do México onde lhes apetecesse. Aquilo que é válido para os outros aplica-se igualmente a nós”.
Quatrocentas mil pessoas, 95% delas francesas, fazem parte da comunidade cigana em França, formada por ciganos de origem búlgara, romena e de outros países dos Balcãs, cujo número tem aumentado.
Segundo o governo francês existem hoje cerca de 15 mil ciganos em situção irregular na França.