Última hora

Última hora

Pequim mantém silêncio sobre visita de Kim Jong-il

Em leitura:

Pequim mantém silêncio sobre visita de Kim Jong-il

Tamanho do texto Aa Aa

O secretismo em torno da visita de Kim Jong-il à China mantém-se. Uma televisão japonesa divulgou um vídeo onde aparentemente se percebe a chegada do líder norte-coreano à República Popular.

De acordo com as imagens Kim Jong-il está num hotel na província de Jilin, mas sem a companhia do filho mais novo, e possível sucessor, Kim Jong-un.

O secretário-geral do partido único norte-coreano, que raramente se desloca ao estrangeiro, tinha estado pela última vez na China em Maio.

A deslocação de agora precede uma reunião do Partido dos Trabalhadores da Coreia
prevista para Setembro onde poderá ser resolvido o assunto da sucessão, diz a Reuters.

Pequim mantém um silêncio ensurdecedor, à medida que os analistas começam a fazer leituras sobre o assunto.

“A visita foi preparada meticulosamente, com antecedência. Por outras palavras, a Coreia do Norte aproveitou a visita do antigo presidente norte-americano Jimmy Carter em termos de segurança”, diz Yang Moo-Jin, professor na Universidade de Estudos Norte Coreanos, na Coreia do Sul.

As autoridades da Coreia do Norte e da China não costumam confirmar as deslocações de Kim Jong-il antes de ele regressar a Pyongyang, sempre de comboio, pois consta que o líder tem pavor de andar de avião.

Kim Jong-il partiu para a China horas depois da chegada a Pyongyang do antigo presidente norte-americano Jimmy Carter, que tencionava pedir-lhe perdão para um cidadão norte-americano, de ascendência cabo-verdiana, Aijalon Mahli Gomes, que estava a cumprir uma pena de oito anos de trabalhos forçados por atravessar ilegalmente a fronteira entre a China e a Coreia do Norte.

Carter conseguiu levar os planos a bom porto e regressou aos Estados Unidos na companhia do antigo professor de Boston.