Última hora

Última hora

Esses veteranos que fizeram a guerra no Iraque

Em leitura:

Esses veteranos que fizeram a guerra no Iraque

Tamanho do texto Aa Aa

Para os americanos, a face mais visível do custo da guerra no Iraque são as dezenas de milhares de soldados que regressaram a casa: feridos, amputados, estropiados. E mais outros milhares que morreram.

Alguns tiveram mais sorte. É o caso do sargento Thom Tran, que encontrou na ‘stand-up comedy’ a força necessária para suplantar o trauma: “Entrei no Iraque a 29 de Março de 2003 e a 3 de Abril – menos de uma semana depois – foi baleado. Tive sorte. E tenho sorte, hoje ainda, de poder fazer o que faço. É por isso que posso contar piadas”, explica.

Para os familiares, que perderam um ente querido, continua a não ser fácil viver com a dor. É o caso de Sallie e Norm Stubenhofer. O filho, Mark, morreu a 7 de Dezembro de 2004: “Depois da morte do Mark, recebemos um postal de Natal onde ele fazia planos para o Verão seguinte. Estivermos a lê-lo antes de irmos dormir e depois a Sallie desatou em lágrimas… Mas não há nada a fazer.”

Desde 2003, mais de 4400 militares americanos morreram no Iraque e quase 32 mil ficaram feridos. Do lado iraquiano, há a lamentar cerca de 100 mil civis mortos.