Última hora

Última hora

Sindicato "Solidariedade" comemora 30 anos

Em leitura:

Sindicato "Solidariedade" comemora 30 anos

Tamanho do texto Aa Aa

A Polónia comemora os 30 anos do “Solidariedade”, sindicato que contribuiu, fortemente, na década de 80, para a queda do comunismo na Europa.

Uma grande festa está prevista, terça-feira à noite, em Gdansk, mas o chefe histórico do sindicato decidiu não comparecer à cerimónia oficial.

Lech Walesa considera que o “Solidariedade” não deve continuar a fazer política como no passado, quando lutou pela democracia, mas consagrar-se inteiramente à acção sindical.

“Se alguém me dissesse nessa altura que eu viveria até à época em que não haveria mais comunismo e sovietes na Polónia, que a Polónia seria soberana e independente, eu não acreditaria que conseguiríamos alcançar isso”, afirmou Lech Walesa.

No dia 30 de Agosto de 1980, o primeiro-ministro polaco assinou com Lech Walesa um acordo que autorizava os sindicatos independentes. O acordo pôs fim à greve dos operários dos estaleiros navais de Gdansk. Os trabalhadores protestavam contra a subida dos preços e reclamavam a reintegração dos colegas Anna Walentynowicz e Lech Walesa, demitidos por actividades de oposição.

Walesa assumiu a liderança de um movimento que se estendeu a todo o país. Rapidamente, o Solidariedade agrupou 10 dos 13 milhões de trabalhadores da Polónia. Rapidamente, o sindicato assumiu uma dimensão política, contra o regime comunista.

Mas em Dezembro de 1981, o general Jaruszelski impôs a lei marcial. Os responsáveis do Solidariedade foram presos e o sindicato tornou-se clandestino.

Em 1989, o sindicato, novamente legalizado, venceu as eleições legislativas. Um sopro de liberdade que ajudou a derrubar o muro de Berlim.