Última hora

Última hora

Quem vai suceder a Brown na liderança do Labour?

Em leitura:

Quem vai suceder a Brown na liderança do Labour?

Tamanho do texto Aa Aa

A resposta para esta questão está nas mãos de 4 milhões de militantes, que começaram a votar quarta-feira.
 
Os candidatos mais mediáticos são os irmãos David e Ed Miliband. Um duelo político interessante, mas com limites, já que ambos prometeram servir um eventual governo liderado por um deles. 
 
Os Miliband têm tentado distanciar-se da herança da era Blair-Brown, apesar de terem integrado os executivos dos antigos líderes trabalhistas.
 
David Miliband, antigo ministro dos Negócios Estrangeiros entre 2007 e 2010, é aos 45 anos, o favorito. Conta com o apoio das principais figuras do partido, sendo considerado o herdeiro mais fiel do New Labour.
 
O irmão mais novo, Ed Miliband, foi ministro da Energia. Fazia parte do círculo de conselheiros de Gordon Brown. Mais à esquerda do que o irmão, Ed considera que o New Labour morreu ao tornar-se o partido dos bónus dos banqueiros. Ao defender maior igualdade salarial, tem o presumível apoio dos sindicatos.
 
Na corrida pela liderança trabalhista encontramos também Andy Burnham, de 40 anos, antigo ministro da Saúde com Gordon Brown. Não é muito conhecido dos britânicos, mas tem a favor o facto de ter gerido um grande orçamento como o da Saúde.
 
Ed Balls, antigo ministro da Infância, Escolas e Família, foi durante muito tempo um aliado de Gordon Brown. É, por isso, visto como o candidato da continuidade. Ed Balls defende-se, negando que estas sejam as eleições que opõem blairistas e brownistas, New Labour e Old Labour.
 
Diane Abbott é a candidata mais à esquerda. A única mulher a concorrer à liderança do partido faz parte do grupo parlamentar dos Trabalhistas e nunca integrou um Governo.
 
A votação termina no próximo dia 22 e o vencedor das eleições será anunciado, três dias depois, na conferência anual do partido.