Última hora

Última hora

Netanyahu e Abbas expõem argumentos antes das negociações de paz

Em leitura:

Netanyahu e Abbas expõem argumentos antes das negociações de paz

Tamanho do texto Aa Aa

O presidente da Autoridade Palestiniana pede a Israel que suspenda a expansão dos colonatos na Cisjordânia, ao mesmo tempo que o primeiro-ministro israelita sublinha que um acordo de paz tem de garantir a segurança no território.

Acompanhados pelos líderes egípcio e jordano, os dois responsáveis fizeram, esta noite, um breve discurso no início do jantar oferecido por Barack Obama na Casa Branca.

“Temos de interrogar-nos se dispomos da sabedoria e coragem necessárias para percorrer o caminho da paz”, afirmou Obama.

Tanto Abbas como Nethanyahu ensaiaram alguns dos argumentos que deverão dominar as discussões que se iniciam esta manhã.

O primeiro-ministro israelita evocou os dois atentados atribuídos ao Hamas nos últimos dias na Cisjordânia para sublinhar:

“Eu não deixarei que os terroristas bloqueiem o nosso caminho para a paz, mas estes acontecimentos provam, uma vez mais, que a paz tem de estar baseada na segurança”.

Para o presidente da Autoridade Palestiniana, que condenou igualmente os dois atentados, é importante que Israel suspenda a construção de novos colonatos durante as negociações que poderão durar cerca de um ano.

“É chegado o momento de assistirmos à criação de um estado palestiniano independente, lado a lado com Israel, é chegado o momento de pôr termo à violência no Médio Oriente”, afirmou Mahmoud Abbas.

O Egipto quer que a segunda reunião negocial se realize no país em finais de Setembro. Uma decisão que depende do resultado das discussões de amanhã.

Numa entrevista publicada ontem, o ministro da Defesa israelita, Ehud Barak, afirmava-se pronto a ceder território aos palestinianos, nomeadamente em Jerusalém, mas mantendo o controlo sobre os colonatos já existentes na Cisjordânia.