Última hora

Última hora

Casa Pia: o megaprocesso

Em leitura:

Casa Pia: o megaprocesso

Tamanho do texto Aa Aa

O Processo de Pedofilia da Casa Pia é o mais longo da história da justiça em Portugal e, também, o mais mediático.

Passados seis anos de julgamento o caso está ainda longe do fim.

A apresentação de dezenas de recursos prometem trocar as voltas à justiça.

O caso começou a ser julgado em Novembro de 2004 no tribunal da Boa Hora, em Lisboa.

Tudo começou dois anos antes com a detenção de Carlos Silvino, ex-motorista da Casa Pia, após uma denúncia de que teria abusado sexualmente de alunos que frequentavam a instituição.

Mas outros arguidos foram implicados, presos, acusados e julgados.

É o caso de Carlos Cruz. O apresentador foi detido pela PJ no início de 2003 no Algarve. Depois de ser presente ao juiz Rui Teixeira ficou em prisão preventiva.

À lista de detidos preventivos junta-se mais tarde o embaixador Jorge Ritto. A posterior libertação do antigo diplomata origina uma manifestação em Lisboa.

Ferreira Diniz foi detido em 2003 na sequência das investigações dos casos de pedofilia na Casa Pia. O médico alega que tudo não passa de um esquema montado para o incriminar porque, adianta, “sabia demais.”