Última hora

Última hora

Nova Zelândia no rescaldo do terramoto

Em leitura:

Nova Zelândia no rescaldo do terramoto

Tamanho do texto Aa Aa

Na Nova Zelândia, a polícia e os militares patrulham as ruas. Mantém-se o recolher obrigatório, depois da segunda cidade do país, Christchurch, ter sido sacudida por fortes ventos e algumas réplicas, na sequência do pior terramoto do país nos últimos 80 anos.
 
O tremor de terra, de magnitude 7,1 na escala de Richter, causou alguma destruição, mas não há vítimas a lamentar.
 
Muita gente foi obrigada a deixar as casas. A polícia evacuou edifícios em risco de ruir. Para várias pessoas, a solução é mesmo dormir no carro.
Muitos foram acolhidos em centros de emergência.
 
O primeiro-ministro John Key, que cresceu nesta cidade, disse que o trabalho de recuperação iria durar ainda bastante tempo.
 
Os principais edifícios da cidade, incluindo o aeroporto e o estádio que vai acolher, no próximo ano, jogos do campeonato mundial de râguebi, sofreram apenas danos superficiais.
 
O terramoto surpreendeu os neo-zelandeses durante a madrugada de ontem, ou seja, sexta-feira à tarde segundo a hora europeia.