Última hora

Última hora

Cartão vermelho para Sarkozy

Em leitura:

Cartão vermelho para Sarkozy

Tamanho do texto Aa Aa

Os trabalhadores franceses mostraram cartão vermelho ao Governo de Sarkozy.

Pelo menos é o que defendem as principais estruturas sindicais, após uma jornada de luta contra o projecto de reforma do sistema de pensões.

O Governo diz que o protesto mobilizou cerca de um milhão de pessoas, os sindicatos falam em dois milhões e 700 mil.

Uma guerra de números que passou ao lado de todos os que, esta terça-feira, desfilaram em mais de 100 cidades francesas.

Os sindicatos prometem não baixar os braços e, se necessário, voltar às ruas ainda este mês.

“Se o governo não reagir rapidamente a esta jornada de luta vai ser necessário voltar aos protestos para demonstrar o nosso descontentamento antes de voltar a casa” afirma o secretário-geral da Força Operária, Jean-Claude Mailly.

Sindicatos, trabalhadores e oposição contestam a reforma do sistema de pensões que pretende alterar a idade mínima de reforma, até 2018, dos 60 para os 62 anos.

A líder do PS, Martine Aubry, defende que “o Governo quer fazer crer que estávamos atrasados em relação aos outros países, o que é totalmente falso. Se esta reforma passar vamos ter um dos sistemas mais duros da Europa.”

De acordo com os sindicatos, a jornada de luta desta terça-feira mobilizou mais manifestantes que o último grande protesto social em França, a 24 de Junho.