Última hora

Última hora

Mineiros presos assistem a jogo da selecção chilena

Em leitura:

Mineiros presos assistem a jogo da selecção chilena

Tamanho do texto Aa Aa

Os 33 mineiros chilenos presos a 700 metros de profundidade puderam assistir ao jogo amigável entre a Ucrânia e o Chile, tal como os familiares que acompanharam o desempenho da selecção nacional de futebol à superfície.

A moral dos mineiros, confinados há mais de um mês a um refúgio escuro e húmido, ficou em alta, apesar da depressão que ameaça o estado de espírito de alguns.

Não tiveram direito a um ecrã gigante, mas graças a um cabo de fibra óptica, puderam gritar bem alto pela equipa chilena, apesar da derrota por 2-1.

O debate prolongou-se no interior da mina, animado por Franklin Lobos, um antigo jogador de futebol profissional dos anos 1980, que também está preso.

Entretanto, depois de uma semana de esforços, o túnel que está a ser escavado para permitir o resgatar dos homens alcançou esta terça-feira os cem metros de profundidade. Ainda assim, por vezes é necessário parar os trabalhos para que o poço possa consolidar-se.

O coordenador da operação, Andres Sougarret, afirmou que os mineiros deverão começar a ser libertados “no início ou em meados de Novembro”.

Dois deles estão a ser medicados. Um tem dor de dentes, outro sofre de hipertensão, mas de acordo com um relatório publicado pelas autoridades de saúde, já foram enviados antibióticos para tratar os problemas.

Os mineiros estão presos na mina de ouro e cobre de San José, a 800 quilómetros da capital, Santiago.