Última hora

Última hora

Presidente do Cazaquistão quer reavivar projecto soviético

Em leitura:

Presidente do Cazaquistão quer reavivar projecto soviético

Tamanho do texto Aa Aa

Preocupado com a seca, o presidente do Cazaquistão pediu ao homólogo russo para ressuscitar uma ideia audaciosa do período soviético.

Noursoulan Nazarbaiev quer inverter o curso dos rios siberianos para as zonas populosas da Ásia Central, ameaçadas com o aprovisionamento de água.

O presidente russo Dmitry Medvedev diz que está pronto a discutir esta questão, ao mesmo tempo que lamenta o estado “deplorável” em que está o sistema de irrigação erguido durante a era comunista.

Durante anos a fio, os cientistas russos trabalharam no projecto megalómano para alterar o curso dos rios Lena, Ob e Ienissei, rumo às zonas populosas da Ásia Central. De acordo com os planos, os rios, que desaguam no oceano Ártico, passariam a abastecer o sul da Rússia e territórios vizinhos.

A ideia acabou por ser enterrada pelo presidente Michail Gorbatchev nos final dos anos 1980, mas continua a ter apoiantes.

20 anos antes, uma outra experiência foi demolidora. Os dirigentes soviéticos ordenaram o desvio do curso dos rios Amu Darya, no Uzbequistão, e do Syr-Daria, no Cazaquistão, para irrigar campos de algodão.

A audácia foi uma sentença de morte para o Mar de Aral, na altura o quarto maior lago do mundo. Tinha uma área aproximada de 68 mil km2, mas foi perdendo cada vez mais dimensão com o passar dos anos.

O lago deu lugar ao Aralkum e é hoje um deserto de sal e poluentes sólidos.