Última hora

Última hora

Clinton: "México parece Colômbia de há 20 anos"

Em leitura:

Clinton: "México parece Colômbia de há 20 anos"

Tamanho do texto Aa Aa

A secretária de estado norte-americana, Hillary Clinton, diz que o México se parece “com a Colômbia de há 20 anos”, onde um terço do território era “controlado pelos guerrilheiros das FARC, Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia”.

O duelo titânico contra os traficantes de droga no país parece não ter fim à vista e já tirou a vida a mais de 28 mil pessoas, desde 2006.

“Estamos a assistir a uma ameaça crescente de uma rede organizada de tráfico de droga que em alguns casos se está a transformar naquilo que se pode considerar insurgência no México e na América Central”, disse Hillary Clinton, durante um discurso perante o Conselho de Relações Exteriores, em Washington.

A violência espalhou-se até à fronteira dos Estados Unidos com o México, onde os narcotraficantes travam guerras territoriais que também envolvem raptos e tráfico humano.

Mas os Estados Unidos prometem mão pesada evitar que o problema se propague aos países vizinhos. Ainda assim, as palavras polémicas de Hillary Clinton não caíram bem entre o executivo mexicano, apesar deste reconhecer algumas semelhanças.

“Não vamos comentar, dado que há uma grande diferença entre o que a Colômbia enfrentou e aquilo com que nós estamos a ser confrontados. Mas há algumas semelhanças”, revelou Alejandro Poire, um porta-voz do governo mexicano.

O braço-de-ferro contra os narcotraficantes promete continuar sem fim à vista. As autoridades mexicanas anunciaram recentemente a detenção de sete homens suspeitos de participar no massacre de 72 imigrantes, no mês passado, no nordeste do país. O grupo recusou-se a trabalhar para um dos principais cartéis de droga do México, conhecido como “Los Zetas”.

O presidente do México admitiu que a violência do crime organizado aumentou no último ano e atribuiu o problema a uma guerra com os traficantes. Hillary Clinton considera que Filipe Calderón merece “altas qualificações pela coragem” no combate aos narcotraficantes.