Última hora

Última hora

Manifestações no Paquistão contra projecto de queimar Corão

Em leitura:

Manifestações no Paquistão contra projecto de queimar Corão

Tamanho do texto Aa Aa

O presidente paquistanês disse que a iniciativa do pastor norte-americano para queimar o Corão pode incendiar o mundo muçulmano.

Um aviso de Asif Ali Zardari que coincide com manifestações em várias cidades do Paquistão contra o plano do grupo fundamentalista cristão.

Enquanto em Multan, na província do Punjab, se queimavam bandeiras dos Estados Unidos, em Karachi os cartazes visavam directamente o pastor Terry Jones.

A manifestação de Karachi teve a particularidade de contar com representantes da minoria cristã. Um bispo paquistanês diz que “profanar um livro religioso ou ferir os sentimentos religiosos e espirituais de qualquer pessoa é condenável. Alguém que avança com um plano deste tipo tem de ter problemas mentais”.

A capital, Islamabad, também foi palco de um protesto, com promessas de vingança. A pedido das autoridades paquistanesas, a Interpol lançou um “alerta global” aos 188 países membros contra a “forte possibilidade de ataques violentos”.

O porta-voz da diplomacia paquistanesa condenou o que classificou de uma “posição fanática de alguém que, em nome da liberdade, está a minar os esforços que foram feitos para promover a harmonia interreligiosa desde o 11 de Setembro”.

As reacções de condenação continuam a multiplicar-se pelo mundo muçulmano. A Organização da Conferência Islâmica, que representa 57 países, exprimiu esta quinta-feira “grande preocupação”.