Última hora

Última hora

Reino Unido: a vida profissional depois dos 50

Em leitura:

Reino Unido: a vida profissional depois dos 50

Tamanho do texto Aa Aa

Num momento em que o debate sobre o adiamento da idade da reforma está ao rubro na Europa continental, no Reino Unido a questão parece nem sequer se colocar.

Só no sector das vendas a retalho, o número de empregados com mais de 50 anos aumentou 22%, na última década.

Val Bishop tem 66 anos e não tem a mínima intenção de se reformar. “Não tenho quaisquer projectos para me reformar ou deixar de trabalhar. Gosto demais do trabalho e para além disso sentiria falta das relações de amizade. Temos todo o tipo de clientes, de todas as idades, e sempre se vai contando umas piadas e damos umas gargalhadas.”

Em 2009, um em cada sete empregados do país tinha 55 ou mais anos.

Ian Cheshire, presidente executivo do grupo Kingfisher, diz que “26% dos empregados da empresa têm mais de 50 anos e nós beneficiamos com a sua experiência, ou seja antigos canalizadores que dão dicas aos nossos clientes, mas também quando é necessário ajudar os colegas mais jovens.”

Mas há um reverso da medalha, que diz respeito ao mercado de trabalho global. De acordo com a organização Age UK, só em 2009 o número de pessoas com mais de 50 anos no desemprego há pelo menos 12 meses aumentou 50%.