Última hora

Última hora

A Turquia vai ter uma constituição reformada

Em leitura:

A Turquia vai ter uma constituição reformada

Tamanho do texto Aa Aa

No referendo às emendas constitucionais deste domingo, o “sim” triunfou com uma larga vantagem. No discurso de vitória, o impulsionador da reforma da constituição, o primeiro-ministro Recep Tayip Erdogan proferiu palavras de união, de esperança e falou de um país mais livre e justo.

Erdogan referiu que a vitória é “de todos os turcos que amam a liberdade” e que só aqueles que são a favor de golpes de Estado foram derrotados.

Erdogan salientou que a convicção e a confiança na democracia viram a luz do dia e que a solução para os problemas estão na política democrática.

É uma importante vitória para Erdogan e para o seu partido islâmico moderado, o AKP. O referendo é também um indicador importante para as eleições legislativas do próximo ano.

Vejamos então os resultados: o “sim” está na frente com 58 % dos votos e o “não” conta com 42%. A taxa de participação cifrou-se em 78 por cento.

Os defensores do “sim” garantem que as 26 emendas vão tornar a Turquia mais democrática e que o país dá um importante passo em direcção à União Europeia.

A oposição, liderada pelo Partido Republicano do Povo, de Kemal Kilicdaroglu, acusa o Governo de ter uma agenda escondida de islamização do país e do Estado e de comprometer o sistema judicial.

A consulta popular ocorreu sem grandes irregularidades com excepção do leste, onde ocorreram alguns confrontos entre forças da ordem e grupos curdos, que pretendiam forçar os eleitores a um boicote. Cerca de 150 pessoas foram detidas.

Coincidência ou não, o referendo ocorreu no dia do aniversário do último golpe de Estado. O golpe de 1980 foi o terceiro no país depois dos de 1960 e 1971 e também o mais mortífero. Deu origem à constituição de 1982, elaborada pelos militares e emendada no referendo deste Domingo.

Entre outros aspectos, nas emendas está previsto o fim da imunidade dos organizadores do golpe de Estado e um reforma da justiça, nomeadamente do tribunal constitucional e do supremo tribunal.