Última hora

Última hora

Haiti: uma campanha eleitoral sobre as ruínas do terramoto

Em leitura:

Haiti: uma campanha eleitoral sobre as ruínas do terramoto

Tamanho do texto Aa Aa

Oito meses após o violento sismo que provocou mais de 300 mil mortos, no Haiti, os candidatos às presidenciais de Novembro participaram ontem num segundo debate de campanha, em Port-au-Prince.

Um evento à imagem de um país reduzido ainda a escombros.

Apenas 4 dos 19 candidatos participaram no debate, marcado por várias falhas de corrente e pela falta de projectos políticos.

Dois dos principais candidatos, o senador Jean Hector e o pastor protestante Chavannes Jeune, limitaram-se a apelar à unidade e à modernização da economia.

A reconstrução das áreas afectadas, onde os desalojados superam um milhão e meio de pessoas e o combate à corrupção permanecem uma das principais prioridades para o próximo presidente.

Em Março, a comunidade internacional tinha prometido ajudas de quase 10 mil milhões de dólares.

Mas, como sublinhou há dias a ONU, a reconstrução do país vai depender, em parte, do êxito das próximas eleições, no dia 28 de Novembro.