Última hora

Última hora

Adesão em alta no 2° dia de greve no sector metalúrgico alemão

Em leitura:

Adesão em alta no 2° dia de greve no sector metalúrgico alemão

Tamanho do texto Aa Aa

Foi bem mais do que uma greve “preventiva” no sector metalúrgico alemão. Esta quinta-feira, perto de 11500 trabalhadores de 38 unidades fabris fizeram greve esta quinta-feira, o segundo de três dias da chamada greve “preventiva”.

A companhia mais afectada foi a número um alemã Thyssenkrupp, nomeadamente na fábrica de Duisburgo, com 5500 trabalhadores a aderirem à paralisação

Peter Ludwig, fez greve e espera conseguir “um acordo justo. Não acredito que vamos ter o aumento de seis por cento que queremos, mas como há dois anos que não temos nada acho que podemos esperar mais desta vez.”

O movimento continua esta sexta-feira, mas espera-se uma menor adesão por parte dos grevistas.

O sindicato IG Metall, o maior do sector na Europa, exige um aumento salarial de 6%, devido ao significativo recrudescimento dos últimos meses na actividade metalúrgica alemã.

As negociações deverão ser retomadas no dia 29 de Setembro.