Última hora

Última hora

Criticou o Kremlin e acabou por ser demitido

Em leitura:

Criticou o Kremlin e acabou por ser demitido

Tamanho do texto Aa Aa

Iouri Loujkov, presidente da câmara de Moscovo desde 1992 foi afastado do cargo pelo chefe de Estado russo.

Na origem da destituição está, segundo fontes oficiais, a perda de confiança política por parte do Presidente.

E não é difícil entender porquê. Recentemente Loujkov, o controverso barão da cena política russa, criticou a administração de Dmitri Medvedev e disse que o país precisava de um líder mais forte para as presidenciais de 2012.

A pressão sobre o ex-autarca aumentou depois da comunicação social russa ter acusado Loujkov de ter favorecido, durante 18 anos, as empresas da mulher.

De acordo com a imprensa, Yelena Baturina construiu em alguns anos um império imobiliário e é, hoje, a mulher mais rica da Rússia.

A construção de raiz da nova Catedral de Cristo Salvador, em Moscovo, foi uma das últimas obras públicas adjudicadas a uma das empresas de Baturina.

O ex-autarca da capital russa nega as acusações.

Nas ruas, os moscovitas mostram-se divididos sobre o fim do reinado de Loujkov.

Uma mulher considera que “ não é de bom-tom despedir alguém que trabalhou tanto durante 18 anos e deu tudo o que tinha à cidade.”

“Foi um bom autarca, mas talvez esta mudança acabe por ser positiva para ele, quem sabe se noutra posição. É preciso seguir em frente” refere um homem.

O mandato deste político de 74 anos chegava ao fim em 2011.

Medvedev nomeou, entretanto, o até agora adjunto de Loujkov para presidente-interino da autarquia de Moscovo.